Até 180 dias - 22,50 % sobre o rendimento bruto

De 181 até 360 dias - 20,00% sobre o rendimento bruto

De 361 até 720 dias - 17,50% sobre o rendimento bruto

Acima de 720 dias - 15,00% sobre o rendimento bruto
Renda Fixa significa emprestar dinheiro para alguém. Na contrapartida, você recebe uma remuneração. Quem ganha com isso não é só o investidor. Para quem emite esse título, é uma forma de captar recursos e financiar seus projetos ou negócios, gerando mais oportunidades para nosso País.

Muitos brasileiros têm se mostrado interessados nas aplicações de Renda Fixa. Este mercado cresceu muito nos últimos anos e hoje atinge mais de três milhões de investidores e movimenta mais de R$ 2 trilhões. Na prática, Renda Fixa representa aquele investimento em que as condições de rentabilidade são determinadas já no momento da aplicação.
No Brasil, o CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título nominativo privado emitido por instituições financeiras e vendidos ao público como forma de captação de recursos. Eles são negociados tanto a partir de uma taxa fixa de juros (pré-fixados) quanto de uma taxa vinculada a índices econômicos (pós-fixados). Seus prazos e condições variam de instituição para instituição e a rentabilidade deles estão sujeitas à incidência de IOF e IR. Além disso, as aplicações em CDB são objeto de garantia ordinária do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).
Letra de Crédito Imobiliário ou simplesmente LCI´s, são papéis de renda fixa lastreados em créditos imobiliários garantidos por hipotecas ou por alienação fiduciária de um bem imóvel e que dão aos seus tomadores direito de crédito pelo valor nominal, juros e atualização monetária, se for o caso.

A grande vantagem da LCI é que sua remuneração é isenta de Imposto de Renda para pessoas físicas e condomínios de edifícios residenciais ou comerciais. Já para pessoas jurídicas a tributação vai em linha com a de renda fixa, começando com alíquotas de 22,5% para aplicações de até 180 dias, até 15% para prazos superiores a 720 dias.
Conhecido como Letra de Crédito Agrícola, a LCA pode ser entendida como um empréstimo que o investidor faz a uma instituição financeira pública ou privada – que fomenta o agronegócio – e, para tanto, recebe uma remuneração, que pode ser um percentual do CDI, uma taxa prefixada ou ainda inflação mais juros prefixados.

A LCA, possui isenção de imposto de renda (IR) sobre os rendimentos para pessoas físicas e isenção de imposto sobre operações financeiras (IOF) tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas.
Títulos Públicos são títulos de renda fixa emitidos pelos governos federal, estadual ou municipal com o intuito de arrecadar recursos para o financiamento da dívida pública ou então, servir como instrumentos de política monetária.

Na esfera federal, a emissão e o controle dos títulos públicos fica sob responsabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional, órgão subordinado ao Ministério da Fazenda.

LFT (Letra Financeira do Tesouro) e LTN (Letra do Tesouro Nacional) são alguns tipos de títulos públicos.

Títulos Privados são títulos de renda fixa emitidos por bancos ou empresas privadas, com o intuito de captar recursos para financiar seus projetos, como o crédito imobiliário e o crédito agrícola.

CDB´s (Certificado de Depósito Bancário) e LC (Letra de Câmbio) são tipos de títulos privados.
O Cetip | Certifica, propicia às instituições financeiras credenciadas - como bancos, corretoras e distribuidoras - entregar a seus clientes um relatório individual a cada pessoa física ou jurídica que realizar investimentos em ativos de Renda Fixa.

É uma certificação que comprova o registro, na Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos), da aplicação do cliente, identificando o CPF ou CNPJ (se for empresa) em determinados investimentos.

Bancos, corretoras, distribuidoras e outras instituições financeiras solicitam adesão ao Cetip | Certifica com o objetivo de registrar, obrigatoriamente, em nome de seus clientes, os produtos depositados na Cetip que comercializam. Com ele, o sistema da Cetip só permite à instituição financeira vender um ativo depositado na câmara se for realizado o registro do título e ocorrer a identificação do nome do investidor.
Fundo Garantidor de Créditos (FGC) constitui-se em uma associação civil sem fins lucrativos, com personalidade jurídica de direito privado do Brasil, que administra um mecanismo de proteção aos correntistas, poupadores e investidores, permitindo recuperar os depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira, em caso de falência ou de sua liquidação.

Os CDB´s, LCI e LCA são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o valor de R$ 250.000,00 por CPF ou CNPJ.
O Fato gerador da garantia é a data em que o Banco Central decreta Regime Especial (Intervenção ou Liquidação) na Instituição Financeira, fechando-a ao acesso público.

O Interventor ou liquidante prepara as informações com base no saldo registrado na Instituição Financeira nesta data respeitando o limite estipulado na Resolução 4222/13.

Saldo é a soma do principal investido e os rendimentos, portanto, será pago o valor do principal acrescido dos rendimentos até a data da decretação do Regime Especial, desde que sejam inferior ou igual ao limite do Fundo Garantidor de Créditos.